O QUE É EXPOSIÇÃO RESULTADOS CÂMERA ESCURA PINHOLE FOTOGRAFIA PLANALTINA REFERÊNCIAS MULTIMÍDIA MEMORIAL EXPEDIENTE CONTATO

Eclipse da Lua


Originalmente a fotografia foi legendada como “A rachadura no tempo reúne momentos distantes”. Dentre seis (4,5%) imagens de arquétipos possíveis, foi escolhida a legenda “Eclipse da Lua”, porque se refere a um fenômeno científico e que foi objeto de antigos mitos e lendas. Somente é possível observar 50% da Lua em um dado momento, o que afere mistério ao astro, associado ao feminino.

O eclipse lunar ocorre quando a Terra, iluminada pelo Sol, projeta um cone de sombra e a Lua penetra (total ou parcialmente) nesta projeção. Durante o eclipse, o corpo lunar não aparece totalmente escuro, mas exibe nuances avermelhadas de luz (Microsfot Encarta [CD ROM], 1996). O fenômeno, que encobre a Lua, indica também o desconhecido e o mistério. Além disso, o eclipse pode significar o término, quando a luz se apaga, ou o início e nascimento, quando a “ordem natural” é restaurada.

Outro fenômeno indicado nas legendas de intertextualidade é o da “Aurora cristalina”. A aurora é o período antes do nascer do Sol, quando a Terra é iluminada por seus raios. A palavra significa princípio, pois está associada com o começo de um novo dia. O adjetivo “cristalina” acrescenta a idéia de pureza e intocável. Portanto, é o nascer de um dia novo cronologicamente, mas novo também porque é puro.

A intertextualidade das legendas reforça o caráter científico com o texto “Arquitetura citológica”. A Citologia é o campo da Biologia que estuda as unidades, estruturas e funções da célula (Microsfot Encarta [CD ROM], 1996). O uso da legenda pode indicar a necessidade de identificar funções e estruturas que não estão visíveis a olho nu na imagem.

A ausência de uma estrutura palpável na fotografia (e a destruição do índice) também é sugerida pela legenda “Ninguém podia entrar nela, não. Porque porta não tinha, não”. O texto é um trecho da música “A casa” de Vinícius de Moraes, que fala de uma casa que não tinha teto, porta, chão ou parede. Ainda dentro da idéia de intertextualidade, a legenda “Viagem no tempo” se refere a ausência de uma estrutura temporal fixa, uma vez que indica a possibilidade de se movimentar para o passado e futuro.

O conceito de tempo é uma constante nos textos propostos para esta foto. Em 22 legendas (quase 17%), aparece a idéia de tempo. São exemplos: “lacunas do tempo”, “a sabedoria do tempo”, “lapso”, “esvaecer do passado”, “Quanto tempo suportará?”, “saudades daquele tempo...”, “O tempo passa, as lembranças ficam” e “O tempo vence a pedra”.

É interessante notar a brincadeira feita por um dos participantes com o discurso do gênero policial. Na legenda para esta fotografia, ele escreveu “Os criminosos foram localizados em uma casa abandonada”. No texto para a fotografia posterior, continuou com a lógica da legenda e anotou “A polícia levou para a delegacia”.